Dream Cast Fans 2015

Dream Cast Fans 2015

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

A Finalista - Vida de Kriss Cap 16

Iiii estou postando esse capítulo super atrasada kkkk porque era pra eu ter postado e esqueci, mas como vcs me pediram, está aqui:

Fanfic / Fanfiction de A Seleção - A Finalista - Capítulo 16 - America Shreave

Claro, alteza. -Digo entre dentes. America parece não perceber a minha hostilidade.

-Alteza?! O que é isso, Kriss?! -Diz sorrindo. -Ainda sou apenas America. Não precisa usar de formalidades comigo, afinal somos amigas. Sente-se.

"Não sou sua amiga." -Fervilha em minha mente. Sento-me em uma almofada azul turqueza, ao lado de Anna Farm.
Anna sorri para mim amigavelmente. Retribuo a gentileza.

America, nos pergunta se nos importamos de nos servirmos nós mesmas e, logo após dizermos que não, dispensa os criados. Somente alguns guardas ficam, porém a certa distância.
Comemos bolachas de sabores maravilhosos, algumas com um divino açúcar, outras com gotas de chocolate ou pedaços de cranberry. Há também uma grande variedade de tortas. Prefiro a holandesa, enquanto percebo que America já comeu alguns vários pedaços de tortas de morango.
Bebo suco de laranja e me lembro de... Josh. Ele adora suco de laranja. Um aperto me invade o coração e sei que é saudade. Mas como posso sentir saudade de Josh estando tão perto de Maxon, e prestes a encontrá-lo em qualquer corredor?

-Kriss, está gostando do suco? -Indaga a rainha.
-Sim. -Respondo secamente. Dessa vez America se da conta de minha rispidez, pois logo se vira para conversar com Marlee, levando um sorriso amarelo no rosto.

Depois de uma hora e meia nos levantamos. Algumas criadas vem recolher os restos de nosso brunch. America nos convida para jantar aqui no palácio e para partirmos amanhã, ao invés de hoje a noite. À contra gosto aceito o seu convite, juntamente com trinta e duas outras garotas, animadas. Eu realmente gostaria de estar em Roses agora.
As garotas se despendem amistosamente da rainha. Eu, por minha vez, caminho para a porta de entrada sem ao menos olhar para America.

-Kriss? -Ouço sua voz. -Será que poderíamos conversar um minuto, no escritório próximo a entrada.

Droga! Aceno positivamente com a cabeça.

-Podemos.

Ela se junta a mim e, enquanto as outras garotas sobem para os seus quartos, caminhamos para um pequeno escritório, próximo a escada principal.
Entramos e America se senta, me oferecendo um assento a sua frente. Me sento também.

-Kriss, o motivo de eu estar querendo conversar aqui com você é porque creio que algumas coisas ficaram mal resolvidas entre nós. -A rainha inicia, sem rodeios.

-Ah, você crê? -Respondo com ironia.

-Sim, creio. -Ela não se deixa intimidar. -Sei que você realmente gostava de Maxon, mas a escolha foi dele. Desculpe se você não obteve o resultado que desejava, mas eu jamais usei de artifícios para lhe sabotar. Eu até mesmo torcia para que fosse você a ganhar, caso eu não chegasse a final.

-Sempre foi você, não é, America?! -Começo a me exaltar.

-Kriss, todas tiveram as suas chances e...

-Não! Não tivemos! -Me levanto bruscamente da cadeira e encaro America. -Maxon sempre teve olhos somente para você. Provavelmente, quando estava comigo, ele também pensava em você. -Elevo o volume da minha voz. Creio que a essa altura eu já deveria estar chorando, mas isso não acontece.

America também se levanta. Ela segura amavelmente o meu braço.

-Kriss, nós não tivemos culpa. Quem é que controla o seu coração?

Me lembro de que eu também não controlo o meu. Ele está dividido, confuso e atribulado. America me faz lembrar do quanto eu sou frágil, sentimental. America me faz lembrar de que eu não consigo decidir a minha vida, de que eu não consigo seguir em frente. Essas lembranças me irritam, me sufocam. Me irritam, muito mais do que sufocam.
Olho a rainha com fúria. Inconscientemente minha mão se levanta e se dirige para o rosto de America. Há um estralo dolorido e ela leva as mãos ao rosto. Sim, eu acertei um tapa bem no meio da cara da rainha.

Apresso meus passos, saio do escritório e subo as escadas furiosa. Enfim estou em meu quarto.
Abro a porta com força e entro. Minhas criadas, que estão fazendo algo na barra de um de meus vestidos, se assustam e levantam-se rapidamente.

-Senhorita?! -Julie solta, pasma.

Me jogo na cama, com pernas e braços estendidos, então as lágrimas vem.

-Senhorita Ambers? O que houve? -Diz Andie, se sentando ao meu lado e segurando a minha mão esquerda.

Kelly se senta do outro lado e faz carinho em meus cabelos.

-Nos diga o que aconteceu, senhorita. Estamos preocupadas.

Julie se abaixa próxima a cama, também esperando a minha resposta.

-Eu dei um tapa no rosto da rainha.

-A senhorita o quê?! -Dizem, horrorizadas.

-Eu bati na rainha. Eu bati nela. Droga! Ela foi tão boa comigo... Ela não merecia... É que quando ela falou sobre não controlar o coração... DROGA!

Desato a chorar.

-Nesse exato momento alguns guardas já devem estar vindo para, no máximo, me expulsar do palácio.

-Calma, senhorita... -Julie começa, porém é interrompida por batidas na porta. Me levanto instantâneamente.

Julie e Kelly, cautelosas, caminham até a porta, enquanto Andie continua ao meu lado.
Julie abre a porta e um guarda aparece no batente.

-Tenho um bilhete da rainha America, para a senhorita Ambers.

-Pode deixar comigo. Já irei entregar. -Julia responde.
O guarda a entrega um pequeno papel e logo segue seu caminho. Julie me passa o bilhete e eu o abro.

"Kriss, fique tranquila, eu não estou brava.
Já esperava algo do tipo. Por favor, não vá embora. Fique para o jantar.

Sem recentimentos,
America."

Enxugo as lágrimas. Como essa garota pode ser tão boa? Não consigo mais sentir raiva dela. Na verdade, sinto que a devo um sincero pedido de desculpas.

-Queridas, por favor, arrumem meu vestido vinho. Ficarei para o jantar. -Peço sorrindo.

Minhas criadas se animam e em algumas horas já estou vestida com meu estonteante vestido de vesta, com meus cabelos em cachos definidos, presos em um meio coque e com uma maquiagem elegante.

Agradeço a ajuda de minhas criadas e abro a porta do quarto. Como se eu batesse em uma forte muralha, caio no chão. Olho em direção a "muralha" e ela está de terno, com uma coroa na cabeça. Maxon.









CRÉDITOS: MARIANA REQUENA



Desculpem o atraso kkkk


Obrigada,

Beijinhus.....
 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos para comentar e expressar sua opinião com respeito !

Beijinhusss...