Dream Cast Fans 2015

Dream Cast Fans 2015

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Mistérios de uma 3 - Vida de Ashley Cap 19

Olá Selectioners! Como pediram , aqui estou eu com mais um! Aproveitem que agora só segunda ook?






Mandei um bilhete urgente para Helena avisando que Kendall havia marcado de conversar comigo após o almoço, e como fazia parte do plano tratar aquele imbecil normalmente, ele poderia desconfiar se eu me levantasse e saísse do almoço com Helena. Logo depois de ter entregado o bilhete ao meu guarda de confiança, me dirigi à sala de refeições onde Kendall e o Rei Harryson III conversavam amigavelmente na mesa.


- Boa tarde Vossa Majestade, Kendall... – Disse cumprimentando-os educadamente.


- Boa tarde linda Gazela! Como vai? – Cumprimentou-me de volta o Rei estampando um leve sorriso em minha face com o “Gazela” -  Rei Harryson era uma excelente pessoa, não merecia o filho que tinha, era uma pena que ele não seria mais meu sogro -  Kendall simplesmente acenou mas não disse nada.


Sentei-me e logo em seguida Helena chegou com a cara totalmente mergulhada em preocupação, como se quisesse me dizer algo. Não foi possível nossa comunicação, Kendall estava de olho em nós duas o tempo todo.


- Ashley querida, estou vendo que você já terminou... Podemos ir conversar? – Coagiu-me Kendall, minha comida não estava nem pela metade.


- Ah, claro... Vamos sim. Com licença majestades. – Me despedi da Princesa Helena e do Rei Harryson. Quando passei pela Princesa que estava de pé, ela sussurrou rapidamente para mim “Cuidado Ash...” O que causou uma pontada em meu estômago de nervoso.

Kendall me acompanhou até chegarmos ao jardim.



-Olá Ash! Como vai? – Disse Kendall num tom irônico em sua voz.


- Estou muito bem Ken, e você? – Respondi fingindo carinho nas palavras.


- Eu sei que você está bem... Na verdade a noite passada te fez tão bem que você voltou até ao meu quarto enquanto eu estava fora só para lembrar dos nossos deliciosos momentos juntos. – Droga! Os guardas deveriam ter avisado à ele que nós passamos em seu quarto sem que ele estivesse presente.


- Eu .... Havia esquecido minha bolsa. – Tentei fazer com que ele engolisse a desculpa mas, ao contrário de Helena eu era péssima em inventar histórias.


- Bem, ao contrário de você eu me lembro muito bem da noite passada e você não estava com bolsa alguma.... – Lembrou-me o idiota. – Ouça querida Ashley, se você foi lá na intenção de arrumar alguma prova que me incrimine está perdendo seu precioso tempo... Eu não deixo vestígios além é claro, do fato de que papai jamais acreditará em você. É preciso uma prova muito mais forte para me deter.... Você não é a única a ter aliados aqui dentro. Pense nisso está bem? – Dizia sorrindo com a maior naturalidade.

Que pilantra, tirou minha dignidade e ainda por cima estava me ameaçando! Não consegui responder, estava paralisada diante de tanto cinismo de Kendall.


- Agora que estamos entendidos, tenho uma reunião muito importante.... Tchauzinho namorada! – Despediu-se Kendall. – Te vejo naquele jantar mais tarde com o vinho que você adora – Piscou para mim o idiota. Desde o ocorrido eu não era capaz de permanecer próxima à ele sem sentir nojo e repulsa.


Logo que notei a ausência total de Kendall, corri ao encontro de Helena que estava me esperando nos aposentos das criadas. A encontrei na porta, ela ainda não havia entrado.


- Ashley! Você está bem? O que ele fez? – Questionou-me Helena ainda preocupada apoiando suas mãos aflitas em meus braços.


- Está tudo bem Helena, só o show de cinismo costumeiro... Ah e ele sabe que fomos ao quarto dele e que você está me ajudando. – Alertei-a.


- Paul! Aquele guarda miserável ainda me paga... Mas cuido dele depois. – Resmungou Helena.


- Paul? Você conhece aquele guarda, Helena? – Eu estava curiosa, Helena era princesa e não fazia questão de saber os nomes de nenhum funcionário do palácio.


- Conheço muito bem – Disse entre risadinhas – Mas é uma longa história, depois eu te conto Ash. Agora precisamos falar com a Magda, ela tem o quarto mais próximo à passagem dos aposentos de Kendall.... – Já que ela me contaria depois não insisti e entramos procurando a tal de Magda.
Os aposentos dos funcionários era bem apertados se comparados aos quartos dos hóspedes, eram como mini quartos abarrotados separados por paredes mas eram bem limpos e organizados. Andamos, o dormitório estava vazio, Magda era camareira e estava voltando das limpezas dos quartos reais.


- Olá! Magda não é? – Perguntou Helena para a senhora de cabelos brancos.


- Majestade! Como sabe meu nome? – Disse surpresa, Magda. – Perdoe-me, Bom dia Senhorita! – Magda voltou-se para mim me cumprimentando.


- Ah não se preocupe, bom dia! Você não fez nada de errado... Só gostaríamos de sua ajuda. – Explicou Helena.


- Em que posso ser útil? – Perguntou Magda.


- Ashley... Explique à ela. – Sugeriu Helena, realmente eu saberia o que perguntar exatamente já que eu era o assunto.


- Você estava aqui ontem à noite por volta das oito e meia.... Nove horas? – Perguntei à Magda.


- Por sorte eu estava Senhorita, tive que lavar até tarde os uniformes reais do príncipe, mas o que quer saber exatamente? – Perguntou-me Magda.


- Você viu alguma coisa estranha ou ouviu algum barulho incomum do quarto dele... ? – Instiguei.


- Bem, não exatamente... – Tentou responder Magda.


- Mulher! Pelo amor dos Céus! Diga o que você ouviu ou viu! – Resmungou Helena já sem paciência.


- Ok – Magda já estava ficando com medo da Princesa – Eu ouvi sim o barulho de uma moça caindo no chão do quarto dele, sabia que era uma moça por causa da voz.... Mas depois se fez um silêncio e não ouvi mais nada. O que querem descobrir exatamente?


- Hã... Bem... – Eu não sabia como explicar que eu havia sido drogada e estava curiosa sobre o que o príncipe tinha feito comigo na noite passada.


- Queremos saber se ele transou ou não com alguém noite passada. – Interrompeu-me Helena bruscamente, sem rodeios para Magda.


- Helena! – Disse metendo as mãos no rosto de tanta vergonha.


- Ah ... Poderiam ter sido mais específicas – Disse a criada sorrindo, até ela se divertia com a situação. – Creio que não Majestade, Príncipe Kendall já trouxe outras moças em seu quarto e quando eles mantém um contato mais.... íntimo fazem muito mais barulho que noite passada. – Fiquei mais tranquila, já era uma evidencia que favorecia minhas expectativas.


- Certo, muito obrigada... Aqui está, agradeceríamos muito se você manter o sigilo da nossa conversa – Disse Helena entregando um saquinho de moedas para Magda que abriu um enorme sorriso ao ver o pacote.


- Muito grata, Majestade. – Agradeceu Magda, satisfeita. – Ah! Senhorita! – Chamou-me Magda antes de sairmos pela porta - por desencargo de consciência procure o soldado Marshall, ele espia a porta do príncipe para ver se está tudo bem, ele poderá lhe dar mais certeza do que eu.
Acenei com a cabeça em agradecimento, eu e Helena fomos à procura do soldado Marshall.


- Como vamos acha-lo Helena?


- Não se preocupe Ash, Marshall é muito amigo de Paul, um cara bem bacana. Ele sempre está no corredor do quarto de Kendall, deveria ter pensado em procura-lo antes. – Explicou Helena.

Fomos até o corredor perto da sala de esgrima, Marshall estava em seu horário de almoço.


- Princesa Helena! Que surpresa em revê-la.... – Marshall saudou Helena com uma voz bem amigável.


- Olá Marshall... Satisfação em revê-lo, essa aqui é Ashley. – Marshall olhou para mim com uma cara de assustado mas não disse nada. – Marshall? Está tudo bem? – Disse Helena ao soldado.


- Sim, o que deseja Princesa? – Respondeu Marshall ainda meio assustado.


- Você fez guarda ontem em frente ao quarto de meu irmão? – Perguntou-lhe Helena.


- Sim.


- Então me diga! Preciso saber o que houve noite passada... – Resmungou Helena à Marshall.


- Eu falo princesa, mas só para você... A senhorita não pode escutar. – Disse Marshall, como assim? Ele não quer me deixar ouvir?


- Acho que tenho o direito de saber. – Retruquei ao soldado, imediatamente Helena me puxou para um cantinho para conversamos.


- Ouça Ashley, deixe-me conversar com ele a sós... Marshall é muito reservado e pela cara que ele fez, ele sabe que era você quem estava com Kendall noite passada. Ele pode ser nossa única chance. 

– Explicou Helena.


- Certo, mas você tem a obrigação de me contar tudo depois. – Impus à Princesa.


- Está bem, pode deixar prometo que lhe direi tudo o que conversarmos mas por favor, espere lá fora... Kendall está em reunião. Não saia do corredor. – Pediu-me Helena.

Concordei enquanto ela estava conversando com o soldado Marshall fiquei caminhando no corredor de esgrima quando ouvi uns sons estranhos... Gritos, na verdade... Bem altos. Segui o som achando que alguém precisava de ajuda, quando passei pelo quarto dos funcionários detectei que o som vinha de um mini escritório onde Kendall normalmente trabalhava em assuntos do Reino. Abri a porta do escritório, e me deparei com a cena mais constrangedora  que eu já presenciara na minha vida....

Kendall em pé agarrado à uma moça – deveria ser nova no emprego de camareira, aparentava ter uns 19 ou 20 anos – que estava sentada na mesa com ele praticamente em cima dela. Os gritos eram gemidos da moça e ela não precisava de socorro... Na verdade estava se sentindo muito bem ao que parece. Kendall notou quando a porta foi aberta mas corri o mais rápido que pude na esperança de que ele não tivesse notado que era eu quem havia lhe pegado no flagra. Foi inútil ele me seguiu, apertando meu braço para que eu parasse.


- Você não vai contar isso pra ninguém! – Ameaçou Kendall ainda apertando forte meu braço.


- Vou contar para todos seu cafajeste! Pensei que você havia se comprometido comigo... – Eu não gostava de Kendall mas vê-lo com outra garota só por prazer me incomodou de certa forma. Como se inútil minha presença ali.... Me sentia num local sem propósito outra vez, assim como me senti na Seleção.


- HÁ! Quero ver quem vai acreditar nas palavras de uma pobre e indefesa jovem que por estar apaixonada não suportou ser trocada por uma simples camareira mais velha! – O sangue me subiu... Não pensei! Simplesmente dei um chute bem forte em suas partes íntimas e saí correndo deixando-o gemendo – dessa vez de dor – no corredor.


Eu me sentia perdida, sem chão, sem propósito... Queria ficar sozinha em algum lugar onde ninguém me acharia... Foi então que ao sair da sala de esgrima vi a portinha do porão à qual Diana havia me aconselhado para que eu não entrasse.... “ O máximo que posso encontrar aqui são algumas aranhas...” pensei. Abri a portinha entrei e fechei. Era um local escuro – a meia luz na verdade, dava pra enxergar mas tinha pouca iluminação – havia muitas caixas abarrotadas de utensílios e roupas velhas... Muita poeira. Achei uma poltrona velha e gasta pelo tempo. Sentei nela e desabei em lágrimas pensando na minha vida, no que eu havia feito, em quem eu tinha confiado... Eu só queria me livrar do acordo e ir embora daquele lugar, de repente meu futuro era ficar com mamãe. Talvez o amor não existia na minha vida... Devia ser meu destino permanecer sozinha.....


- Oi...porque está chorando? – Levei um susto! Havia um rapaz lá dentro.


- Não  estou chorando.... – Disse ainda soluçando enxugando as lágrimas com meu vestido. – É só uma crise alérgica.


- E você quis se livrar de uma crise alérgica em um porão escuro e empoeirado? – Disse o rapaz... Tinha os olhos claros – mas não consegui distinguir a cor por causa da pouca luz- e era alto. A cor do cabelo também não consegui decifrar.


- Eu .... não sabia que funcionários frequentavam o porão.  – Tentei mudar de assunto.


- Não sou um funcionário... – Respondeu-me com um sorriso simpático no rosto entregando um lenço limpo para que eu pudesse limpar meus olhos.



“Quem era aquele garoto? O que fazia no porão? Porque estava interessado em minhas lágrimas?”




CRÉDITOS: ROBERTA LOPES (eu)



Espero que tenham gostado, ótimo fim de semana!


Beijinhus.....

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos para comentar e expressar sua opinião com respeito !

Beijinhusss...